MODA REINVENTA UMA RUA

All stories
  • Economy
  • Retail
  • City Centers
  • Streets

LINHA DO TEMPO

1905

O bairro Klarendal é a primeira extensão de Arnhem para fora das muralhas da cidade

Anos 1960

o pico dos bons tempos; 32 padarias, 16 lojas de flores, 25 cafés são ativos na Klarendalseweg (Rua Klarendal)

1963

ArtEZ Instituto de Arte abre em Arnhem

1970

Indústrias maiores mudam de lugar. Aumento de desemprego, crime e drogas, causando distúrbios.

1989

Os habitantes se organizam e expulsam violentamente os chefes do tráfico. Início da prevenção de crimes e planos para revitalização do bairro.

2005

Plano de revitalização: Klarendal Continua lançado para melhorar a qualidade de vida, introduzindo o Distrito de Moda (Mode Kwartier)

2008

Correio histórico no centro da cidade de Arnhem foi reconstruído em Klarendal, com um novo restaurante

2012

Hotel de moda Modez abre, para o qual designers holandeses de moda internacionalmente renomados desenharam os 20 quartos. 50 lojas na rua foram ocupadas.

2013

Abertura de um centro multifuncional

1.500
metros de comprimento/extensão da Klarendalseweg, Sonsbeeksingel e Hommelstraat
100
artistas locais que trabalham nas lojas, ateliês e que moram na área
50
lojas
4
bares/restaurantes
1
“hotel moda” em 2012

CONTEXTO

Situada 100 quilômetros a sudeste de Amsterdã, Arnhem é uma das maiores cidades da Holanda. Klarendal foi o primeiro bairro de Arnhem fora da muralha da cidade, quase todos seus usos originais eram industriais. No começo dos anos 1900, a ferrovia nacional cortava Arnhem entre cidade antiga, por um lado, e setor de uso industrial pelo outro. Os anos 1960 e 1970 trouxeram desespero e ansiedade ao bairro, provocados pelos fechamentos de fábricas. O desemprego nitidamente aumentou, seguido rapidamente por crime em ebulição, prostituição e tráfico de drogas. Muitas lojas fecharam na Klarendalseweg, a rua principal de 1,6 quilômetros. Os distúrbios entre os orgulhosos habitantes locais e a polícia, relacionados aos problemas de drogas e crime, persistiram ao longo dos anos 1980. O número de famílias residentes caiu, a demanda por lojas locais mudou e diminuiu e o número de prédios vazios aumentou. Os traficantes foram evacuados várias vezes, porém sempre retornavam rapidamente. O despejo violento dos traficantes em 1989 vingou os habitantes. Depois de uma década de planejamento nos anos 1990, o plano de revitalização da Klarendal foi finalmente lançado no começo dos anos 2000. Desde então, o bairro vem experimentando mudanças positivas.

PROBLEMA

Os habitantes, na maior parte da classe trabalhadora, eram orgulhosos do seu bairro, das grandes indústrias na sua volta e do charme da Klarendalseweg. Depois do último distúrbio em 1989, a maior questão se manteve: como podemos reinventar esse bairro? Como podemos fazer com que ele vire uma atração fora do centro urbano? Com quase todas as lojas na rua principal fechadas, uma alta taxa de desemprego, tráfico de drogas em certas áreas e ruas de Klarendal, comportamento criminal e rendas baixas, quais são as opções?

SOLUÇÃO

No começo do século 21, foi firmada uma forte parceria entre os habitantes, a cooperação de habitação local “Volkshuisvesting Arhem”, o Governo Provincial de Gelderland, a escola ArtEZ fashion e a prefeitura de Arnhem. Em razão dos aluguéis relativamente baixos, o bairro já estava se desenvolvendo como uma comunidade alternativa, artística, com muitos estudantes da ArtEZ morando ali. Ao mesmo tempo, na cidade de Antuérpia, os ícones da haute couture The Antwerp Six estavam fazendo sucesso na cidade flamenga, e junto com eles, revitalizando a cidade. Essa história de sucesso inspirou os parceiros de Klarendal a expor a conexão entre arte, o bairro e ArtEZ. Dessa inspiração nasceu o Mode Kwartier, o Distrito de Moda. Em 2005, a cooperação de habitação começou a pagar pelas renovações das lojas. Um grupo seleto de diplomados da ArtEZ e de outras academias da Holanda foi convidado para alugar lojas vazias ao longo da Klarendalseweg. Os artistas tinham estúdios-loja no andar térreo e moravam no espaço acima. Os diplomados alugavam pelo preço do mercado e lhes foi exigido que desenhassem seus estúdios. Em 2008, a relocalização do correio histórico de Arnhem, a sua reconstrução e a inauguração de um novo restaurante no seu interior, marcou a nova imagem do bairro. Em 2010, 35 estúdios-lojas estavam ocupados: hoje, são mais de 60.

Habitantes contribuíram para a renovação do bairro e para o desenvolvimento de planos e o embelezamento de outras partes do distrito.

Berry Kessels – incorporador do distrito Klarendal, associação de habitação chamada Habitação Popular (Volkshuisvesting), Arnhem

SEGREDO

Intervenção Acupuntural. Com o início deflagrado pela inauguração do restaurante e a reconstrução do correio histórico, os parceiros aplicaram uma estratégia de revitalização que apontava uma variação de intervenções em várias locações ao longo do corredor Klarendalseweg. Alguns segmentos da rua foram redesenhados para melhorar o ambiente do pedestre. E obviamente, os estúdio-lofts dos diplomados, espalhados ao longo do corredor, não tiveram apenas um papel chave para manter a rua vibrante em todas as horas do dia, mas criaram também um destino e uma rota de pedestres para amigos e visitantes.

LIÇÕES

Criar movimento. A reconstrução do correio e o novo restaurante Goed.Proeven (Boa Degustação) foram grandes geradores da boa imagem do programa de revitalização de Klarendal. Isso proporcionou uma “inauguração” oficial da rua, especialmente para aqueles que até então não conheciam o bairro e as suas melhorias recentes, e imediatamente fizeram com que a rua virasse um destino que valeu o movimento. Em 2012, houve uma segunda grande inauguração, em razão de três novas adições: o hotel de moda Modez & bar Caspar, o espaço de arte Kunstkazerne (Quartel de Arte) e a galeria/ateliê Plaatsmaken. Novamente, o objetivo é mostrar para o mundo ”a nova Klarendal”.

Desenvolver consistência. Em razão dos seus planos imprevisíveis e estilo de vida geralmente agitado dos artistas, o desafio maior com a cadeia de estúdios é a organização de horários de funcionamento comuns. Uma coalisão ou equipe de liderança dos artistas seria útil para a criação de uma rua principal consistentemente vibrante. Adquirir a cooperação dos habitantes. Ao longo do tempo, alguns dos habitantes mais céticos expressaram insatisfação com a direção do bairro. Eles receavam demasiadas mudanças. A priorização dos habitantes, da sua colaboração e input em relação às mudanças de longo prazo, que estão por vir, pode ter trazido mais colaboração, apoio e impressões positivas.

IMPACTO

Obviamente, o Mode Kwartier ganhou atenção e atraiu a imprensa internacional, porém também contribuiu para a cidade de Arnhem através da melhoria da imagem do esquecido bairro de artistas. As renovações, os plinths ocupados e o redesenho da rua aumentaram a habitabilidade do bairro. Em 2013, o projeto foi premiado com a Gouden Piramide (Pirâmide Dourada), o prêmio oficial do governo holandês para ”desenvolvimento inspirador”. O júri o qualificou como impressionante e elogiou as dimensões culturais, sociais, econômicas e educacionais do projeto.

FAZER

  • Ganhar a cooperação dos habitantes
  • Encarar os desafios de frente
  • Aproveitar as caraterísticas do bairro já estabelecidas
  • Melhorar o bairro em lugares estratégicos

Hey, you!
We’re searching for new writers and stories about plazas and city centers.

Interested? Join The City At Eye Level and share your story!

Discover more

CONCLUSÃO

Com uma história extremamente movimentada e violenta, o grupo de parceiros e artistas graduados se reuniu para criar um corredor, que funciona como destino, fora do centro urbano de Arnhem. O bairro diverso tinha uma base sólida para evoluir, os habitantes originais, orgulhosos, a população de imigrantes constantemente mudando e a classe criativa da ArtEZ aproveitando os alugueis mais baixos. A estratégia de intervenções acupunturais conduziu a mudança lenta e criou uma situação que as pessoas querem frequentar. Obviamente, houve desafios que ainda está-se enfrentando. No final, esse projeto devolveu a confiança aos habitantes, inverteu as imagens negativas do bairro, e contribuiu para um plano de investimento vital para a cidade Arnhem.

RELATED
STORIES

All stories