NO ENTRETANTO

All stories
  • Placemaking
  • City Centers

COMEÇANDO COM O ESPAÇO DO ENTRETANTO

Em 2009, a recessão começou a afetar duramente o Reino Unido; negócios faliram, empreendimentos ficaram parados, ruas principais se deterioraram e o desemprego grassou. Notamos que propriedades subutilizadas e desenvolvimentos frustrados foram uma oportunidade perdida no “entretanto”, e era quase impossível acessar esses espaços. A abundância de propriedades vazias compõe o declínio das ruas principais, porém as pessoas locais que precisam de espaço para desenvolver novas ideias de negócios e usos inovadores nos espaços nessas ruas são excluídas pela indústria imobiliária atrasada. A nós parecia que ali havia uma grande oportunidade – se só conseguíssemos o espaço!

Precisamos de um incentivo, que encontramos sob a forma de uma política que foi introduzida em 2009. Na Inglaterra, os donos de propriedades vazias devem pagar 100 % de taxas empresariais quando a propriedade fica vazia por três meses. Isso muitas vezes é muito caro para eles, especialmente no caso de muitas propriedades vazias (14,5 % e, nas áreas degradadas, mais de 20 %) e de declínio de ocupação.

Começamos a investigar o potencial de ocupações temporárias do espaço vazio, junto com empresas criativas, mas nos deparamos com muitas barreiras burocráticas, classes de zoneamento planejadas, o acesso aos dados de contato dos proprietários e taxas empresariais exorbitantes. Assim, começamos Meanwhile Space, o Espaço do Entretanto, uma empresa social e “companhia de interesse comunitário” (CIC) em 2009, para apoiar e possibilitar o uso temporário de propriedade vazia.

HISTÓRIAS DE SUCESSO

Muitos dos nossos 1.100 ocupantes falharam e aprenderam com aquela experiência; porém, muitos mais usaram o trampolim de um espaço temporário para estabelecer um negócio bem-sucedido. Uma das histórias de sucesso é House of Bilimoria, Casa de Bilimoria, uma marca de roupa ética, que estava localizada no nosso hub Wembley, Cottrell House. Estabelecer-se em um espaço de ateliê numa rua principal, com apoio empresarial sob medida, permitiu ao empreendimento expandir o seu negócio e agora tem quatro funcionários, e avançou para alugar uma propriedade em termos comerciais. A marca estreou na London Fashion Week (Semana de Moda de Londres) em 2008 e, desde então, foi publicada no livro V&A, ‘British Asian Style’, ‘Estilo Britânico Asiático’.

 

Um outro exemplo é Christian Dillon, do projeto East London Furniture, Mobiliário da Zona Oriental de Londres. Enquanto estava como voluntário num projeto no nosso espaço Whitechapel, e recuperando-se de uma lesão, ele começou a construir uma mobília de pallets descartados. Logo, as suas criações únicas ganharam interesse do público. Durante a Semana de Design, estabelecido na nossa localização Exmouth, ele exibiu os seus designs e trabalhou com pessoas de rua que mostraram interesse. Ao final da semana, ele teve suficientes encomendas de cafés, bares e escritórios para correr o risco e empregar seu negócio num espaço temporário seu. Três anos depois, empregando três funcionários, a sua marca é amplamente reconhecida por suas peças de vanguarda, utilizando produtos descartados.

 

O PRIMEIRO PROJETO

Em 2009, propuzemos o Projeto do Entretanto ao ministro, na busca de uma solução para ajudar as ruas principais a passarem pela recessão. Procuramos pessoas do país inteiro que já realizavam atividades interessantes nos espaços vazios. Encontramos 24 projetos em 17 lugares que podíamos apoiar diretamente com o fundo, nos permitindo pagar qualquer coisa que pudesse atrapalhar o projeto (por exemplo, taxas empresariais, utilidades, janelas quebradas), exceto o aluguel. O Meanwhile Space entregou o projeto e desenvolveu recursos a partir da experiência, inclusive um Kit do Entretanto, Políticas de Locação e Segurança.

O termo ‘Uso do Entretanto’ foi definido pelo Meanwhile Space durante esse projeto. Como conceito, Meanwhile, ou Entretanto, abrange a filosofia de que o espaço vazio pode ser utilizado para criar possibilidades para pessoas. Isso vai além do período pop-up de algumas semanas, para fazer com que se use plenamente o espaço, para o período máximo em que ele está vazio. É sobre a transformação da maneira com que as pessoas pensam sobre espaço vazio, revolucionando a indústria da propriedade, e esculpindo uma nova indústria.

AS LOGÍSTICAS DOS USOS DO ENTRETANTO

Em Março 2010, o financiamento do Projeto do Entretanto acabou. Desde então, a nossa equipe desenvolveu uma variedade de serviços relacionados à melhoria de projetos entregues, consultoria, placemaking, marketing e divulgação, treinamento, emprego e capacitação, engajamento da comunidade, pesquisa e políticas. Apenas através de divulgação verbal informal, uma rede do Entretanto de projetos, proprietários, autoridades locais, consultores e especialistas da indústria imobiliária cresceu para mais de 11.000 membros internacionais.

A maior parte da nossa renda vem da entrega de projetos em nome das autoridades locais. Por exemplo, a Queens Parade em Willesden Green ressuscitou a Willesden High Road com sucesso, através de uma abordagem criativa e flexível em intervenções de curto prazo. Uma investigação identificou lojas vazias, adequadas para uso temporário e, depois de negociações com os proprietários, asseguramos a concessão temporária inicial de 6 meses de 10 unidades vazias, que tinham estado desocupadas por 5 anos.

Durante o projeto, o Meanwhile Space apoiou 13 empresas através de negociações com proprietários ou agentes, criando concessões e contratos informais, e enfrentando processos burocráticos. O Meanwhile Space correu o risco como titular mediador da locação, e facilitou as renovações das propriedades, trabalhando junto com 25 estagiários do colégio de formação profissional local. O Meanwhile Space continuou a dar apoio por dois anos, mas, atualmente, a Queens Parade é independente de qualquer financiamento público, com os locatários pagando aproximadamente 40 % do aluguel comercial, para que os custos das propriedades estejam cobertos até que o proprietário receba permissão pública para redesenvolvimento.

 

A VISÃO DO ENTRETANTO PARA UM ANDAR TÉRREO IDEAL

Todos os nossos 42 espaços foram redesenvolvidos ou alugados, como resultado direto da nossa ocupação – um incentivo excelente para os proprietários nos permitirem usar o espaço. O incentivo mais forte é que cobramos as suas taxas por propriedade vazia, enquanto eles estão procurando um novo inquilino ou esperando permissão do planejamento público. Até agora, economizamos £670.000 de taxas por propriedade vazia para os proprietários, e por todo esse tempo providenciamos espaço para mais que 1.000 start-ups, indivíduos e criativos.

Na nossa opinião, andares térreos devem ser diversos e oferecer ambientes mudando continuamente, vibrantes e acolhedores. Ruas principais devem se adaptar ou definhar, já que fazer compras não é mais a única atividade do centro urbano. As pessoas querem coisas interessantes para ver e que não custam uma fortuna. E cada vez mais, elas querem fazer as suas compras pela internet, ou em polos suburbanos de varejo. Não podemos mudar isso. Porém, sentimos que atividades de escala humana, lideradas a nível local, são uma boa maneira de testar novos usos na rua principal e, através do Entretanto, podemos ajudar as nossas ruas principais a se adaptar a um futuro inseguro e a tornar-se lugares distintivos e vibrantes.

A nossa visão para um andar térreo ideal é aquele onde não há espaço vazio; precisa-se prever e “curar” períodos de vacância para dar chance às pessoas de testarem uma ideia, de uma maneira bastante visível, de baixo risco e por baixo custo, mesmo que por poucas semanas ou meses. Isso requer transparência de propriedade, uma abordagem flexível de burocracias e um ponto central com todo conhecimento da área, para que o conhecimento seja facilmente acessível.

Comunidades se beneficiam socialmente de atividades no andar térreo que, caso contrário, seria propriedade vazia, que dispõem de serviços comunitários acessíveis e reduzem o flagelo e o comportamento antisocial. Proprietários se beneficiam economicamente, através da segurança da ocupação ativa, custos reduzidos para manter as propriedades vazias e perspectivas alargadas para usos futuros.

Hey, you!
We’re searching for new writers and stories about plazas and city centers.

Interested? Join The City At Eye Level and share your story!

Discover more

Devido ao sucesso e à demanda ampliada, a nossa equipe estabeleceu uma nova empresa coligada em janeiro de 2014, a Unlimited Meanwhile Ltd. (Entretanto Ilimitado), para focarmos em aumentar a escala dos benefícios do uso de Entretanto, no Reino Unido e internacionalmente. Estamos também na fase inicial da criação de um App, financiado por Innovate UK, que conectará todos os proprietários de espaços subutilizados com os potenciais inquilinos.

RELATED
STORIES

All stories